Brasil

.

.

.

Brasília, DF – A chegada das férias é uma espécie de “carta de alforria” para os viajantes: há um Brasil gigante e majestoso, pronto para ser desbravado. Para ajudar a fazer dessa viagem uma experiência bem-sucedida, o Ministério do Turismo acaba de lançar a segunda edição do guia de bolso Viaje Legal.

A cartilha, que já está disponível no hotsite da campanha Viaje Legal (http://www.viajelegal.turismo.gov.br/), reúne informações que ajudam o turista a preparar a viagem, dicas sobre como aproveitar o melhor do destino escolhido e orientações sobre como proceder em casos de imprevistos, como cancelamentos de voos, overbookings em hotéis e violações do direito do consumidor, além de recomendações sobre a compra de transporte de animais, quebra de contratos de serviços turísticos, Também auxilia o viajante sobre como proceder diante de situações como extravio de bagagem, contaminação por alimentos e acidentes com animais peçonhentos.

.

.

ALGUMAS DICAS

* Em viagens aéreas ou rodoviárias, cães e gatos transitam no país sem a necessidade da Guia de Trânsito Animal (GTA). É obrigatório, porém, o porte de atestado de saúde, emitido por um médico veterinário inscrito no Conselho Regional de Medicina Veterinária

.

* Em caso de overbooking no hotel reservado, o estabelecimento tem o dever de acomodar os hóspedes em outro local, com categoria equivalente à contratada, e garantir o transporte entre os hotéis

 .

* O Ministério do Turismo recomenda ao viajante que fique atento a tudo que possa acumular água, evitando o contato com o mosquito da dengue. Quem vai viajar e deixar a casa fechada deve remover a água dos vasos de plantas, deixar a caixa d água tampada e retirar a água de grandes reservatórios, como as piscinas. Durante a viagem, se houver surgimento de sintomas da doença – como febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores pelo corpo e náuseas -, procure orientação médica imediatamente

 .

* Sempre que um voo atrasar ou for interrompido por mais de quatro horas, seja por qual for o motivo, a empresa aérea é obrigada a acomodar o passageiro em outro voo. A fim de minimizar o desconforto do cliente, a empresa aérea ainda deverá oferecer refeições, telefonemas, transporte e acomodação, se for o caso. Caso isso não aconteça, a reclamação oficial deve ser feita diretamente à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) pelo telefone 0800 725 4445 (ligação gratuita)

.

* Em caso de extravio de bagagem, o passageiro tem direito a uma indenização de até 150 OTN (Obrigações do Tesouro Nacional) em caso de voos nacionais, ou de U$ 20 por quilo de bagagem extraviada, em caso de vôos internacionais.

.

* Em destinos de ecoturismo, turismo rural e turismo de sol e praia, verifique se há recomendação de vacinas contra doenças como, por exemplo, a febre amarela. O turista deve se vacinar pelo menos 10 dias antes da partida. Em caso de turismo em cavernas ou grutas, certifique-se de que as mesmas estejam autorizadas para visitação

 .

* Turismo Náutico: antes do embarque, checar as condições de segurança, a disponibilidade de medicamentos a bordo e a existência de equipamentos de pronto-socorro, como desfibriladores e medidores de pressão arterial. Deve-se verificar, ainda, se a embarcação escolhida tem um plano de limpeza e desinfecção diária da mobília e outros equipamentos. Se ocorrerem três ou mais episódios de diarréia em um intervalo de 24 horas, informar imediatamente a tripulação do navio, que, por sua vez, deve informar o episódio à Anvisa

 

Fonte: Ministério do Turismo